Qui, 07 de novembro de 2019, 13:34

Projeto de pesquisa e extensão realiza divulgação de serviços para vítimas de perdas ou furtos de celulares
Ação acontece no Restaurante Universitário

O projeto de extensão “Grupo de apoio aos alunos expostos à violência no transporte público” tem como objetivo oferecer suporte aos estudantes que utilizam o coletivo para chegar à universidade. Isabelle Haaiara, aluna do curso de psicologia, conta que o projeto surgiu justamente pelo número de relatos de alunos que sentem muito incômodo ao andar de ônibus e que experimentam sintomas de ansiedade.

A iniciativa teve início dentro de uma disciplina e acabou dando origem a um projeto de pesquisa e extensão. As reuniões acontecem duas vezes por semana no formato de uma roda de conversa, além disso, os discentes também realizam ações externas para o apoio e divulgação do projeto, como o cadastro de alunos e funcionários no sistema do Alerta Celular.


Cartaz de divulgação do evento (foto: Rivandson Teles/PROEX)
Cartaz de divulgação do evento (foto: Rivandson Teles/PROEX)

Sistema Alerta Celular

O cadastramento no serviço Alerta Celular permite ser possível a recuperação do aparelho roubado, perdido ou furtado. Mas, para que isso aconteça, o dispositivo deve ser previamente cadastrado. Em casos de perdas ou até mesmo furtos, além do Boletim de Ocorrência Online registrado na Delegacia Virtual, um aviso também poderá ser emitido no portal do Alerta Celular. Assim havendo apreensão de celulares em operações policiais, as autoridades verificarão se um alerta foi emitido para qualquer um dos aparelhos e poderão efetuar a devolução.


Isabelle Haaiara, estudante de graduação e participante do projeto (foto: Rivandson Teles/PROEX)
Isabelle Haaiara, estudante de graduação e participante do projeto (foto: Rivandson Teles/PROEX)

Em situações de assaltos (roubos), mediantes a abordagens de violência e graves ameaças, é recomendado que a vítima procure a Delegacia Municipal para informar o crime e fazer o registro da ocorrência. O Alerta Celular foi implantando incialmente em Pernambuco e logo depois foi adotado pela Secretaria de Segurança Pública de Sergipe (SSP). Para utilizar o serviço é preciso que haja o cadastramento e o acesso pelo site. Podem ser cadastrados um ou mais dispositivos.

Apesar de haver a possiblidade do cadastro ser realizado pela própria vítima, a estudante Isabelle afirma que pouquíssimas pessoas sabem do serviço “por isso pensamos em fazer essa ação, justamente para divulgar essa possibilidade e para oferecer alguma alternativa para os alunos, uma vez que a gente não pode oferecer uma solução para o problema da insegurança no transporte”.


Rivandson Teles (bolsista)


Atualizado em: Qui, 07 de novembro de 2019, 14:15
Notícias UFS