Ter, 05 de novembro de 2019, 19:38

Movimentos de luta por moradia participam da Semac
MTST e MST juntos por causas socais em ambiente acadêmico

Evento de extensão "Conjuntura dos movimentos de luta por moradia, força e autonomia" traz a proposta de discutir temas sobre crises econômicas e éticas com alunos e integrantes de movimentos que lutam por direitos humanos. A coordenadora do evento, Profa. Dra. Elza Francisca Corrêa-Cunha fala sobre a importância da integralização da universidade com as iniciativas externas."Eu acho que é um papel social da universidade trabalhar toda a construção do saber aqui, levar para fora e trazer a construção do saber de fora, dessas comunidades de baixa renda para dentro da universidade".


A coordenadora do evento, Profa. Dra. Elza Francisca Corrêa-Cunha (foto: Rivandson Teles/Proex)
A coordenadora do evento, Profa. Dra. Elza Francisca Corrêa-Cunha (foto: Rivandson Teles/Proex)

Werden Tavares , responsável pela comunicação do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), afirma que a união entre movimentos sociais e universidade é uma troca, "é um retorno que é bom tanto pra comunidade acadêmica quanto para a população."


Werden Tavares, integrante do MTST (foto: Rivandson Teles/Proex)
Werden Tavares, integrante do MTST (foto: Rivandson Teles/Proex)

Segundo Marivaldo Muniz de Santana, integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), é importante participar de eventos da universidade por conta do reconhecimento e da agregação social.


Marivaldo Muniz, integrante do MST (foto: Rivandosn Teles/Proex)
Marivaldo Muniz, integrante do MST (foto: Rivandosn Teles/Proex)

Ainda segundo a coordenadora do evento, trazer alguns problemas sociais para serem refletidos fazem com que a função da universidade seja cumprida.

Por Isabella Vieira (bolsista Proex)


Atualizado em: Ter, 05 de novembro de 2019, 19:54
Notícias UFS